Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Minha Sintra

exploração fotográfica pessoal de locais pouco visitados na vasta e complexa área de SINTRA e na sua fronteira com MAFRA

A Minha Sintra

exploração fotográfica pessoal de locais pouco visitados na vasta e complexa área de SINTRA e na sua fronteira com MAFRA

Forte de São Pedro de Milreu

E a sua lindíssima zona envolvente. Ericeira.

Janeiro 07, 2020

dicasetretas

49329200232_a1cce93fa9_k.jpg

Construído entre 1670 e 1675, o Forte de São Pedro ou Forte de Milreu, foi edificado no âmbito da política defensiva decorrente das Guerras de Restauração, que levou à construção ou reorganização de inúmeras fortalezas e fortins por toda a costa marítima do reino. A escolha de Milreu para erigir uma fortaleza prendeu-se com o facto de este ser o local ideal para defender o acesso marítimo à Ericeira por norte, ao mesmo tempo que permitia evitar desembarques na baía de Ribeira de Ilhas. Em 1680 o forte estava já artilhado, encontrando-se em pleno funcionamento.
De planta rectangular, o forte é composto por uma bateria com canhoeiras e duas guaritas circulares de cobertura cónica. Na fachada norte foi rasgado um arco pleno, ladeado por duas janelas, e a fachada oposta é rasgada também por arco de volta perfeita. A escadaria lateral, junto a uma das guaritas, conduz ao terraço delimitado por parapeito, que sobre a casa-forte permitia a defesa de tiro de fuzil. O interior é coberto por abóbada.
No ano de 1751 foi reportado o estado ruinoso da fortaleza, sendo apontada a necessidade de fazer obras nos parapeitos das baterias e nas guaritas, bem como de colocar novas portas e janelas. As obras foram depois do Terramoto de 1755, que agravou os estragos na estrutura defensiva.
Em 1806 o forte foi desmantelado e desguarnecido, o que originou que em 1821 a construção se encontrasse já em avançado estado de ruína. No entanto, entre 1831 e 1832 a fortaleza foi reparada para voltar a funcionar como posto defensivo.
No ano de 1853 a fortaleza encontrava-se novamente abandonada, e o seu estado de degradação foi-se agravando, embora a antiga casa do governador passasse a albergar uma escola primária para alunas do sexo feminino. Em 1871 é solicitada ao Ministério da Guerra autorização para serem utilizadas lajes do forte na reedificação da Igreja de São Pedro da Ericeira, concedida no ano seguinte, o que certamente agravou em muito a degradação da fortaleza.
Apesar de em 1883 e 1886 terem desabado partes da estrutura da muralha da fortaleza, no ano de 1891 a Guarda Fiscal instalou-se no espaço da antiga residência do governador. Mais tarde, em 1896, a muralha sofreu novo desabamento.
No século XX, em 1940, procederam-se finalmente a obras de reestruturação da estrutura, com o início da reedificação da muralha. No ano seguinte, o Forte de Milreu passou para a dependência do Ministério das Finanças, deixando oficialmente de ser considerado uma fortificação militar. Entre 1946 e 1992 muitos foram os projectos de reutilização do espaço - como casa de chá, pousada, restaurante, café - que não se concretizaram.

49334676578_a9b1c36031_k.jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D